Incontinência urinária em cães idosos

O nosso velhinho querido
O nosso velhinho querido

Dias desses, minha mãe me contou que nosso “véiocão”, o Ozzy, às vezes, não tem conseguido chegar ao jornal para fazer xixi. Ela conversou com o veterinário, o excelente Dr. Paulo Sérgio Salzo, da Universidade Metodista de Säo Paulo, que disse que é um problema que teremos de conviver daqui por diante. São três os fatores que influenciam diretamente para o Ozzy apresentar incontinência: idade avançada, ele vai completar 13 anos; obesidade, são 22 kg e as características da raça, cockers são propensos a ter esse tipo de doença.

Por enquanto, o Ozzy ainda não precisa de medicamentos, ainda bem porque já toma vários, apenas uma limpeza mais cuidadosa quando o xixi escapa, mas pode ser que o problema se agrave. Ocorre que com o envelhecimento, explica o site WebMD, a produção dos hormônios testosterona em cães machos e estrogênio em fêmeas diminui. Essas substâncias são importantes no controle do tecido muscular da bexiga, que atua como válvula no controle da urina.

O tratamento varia, mas segundo o livro “Primeiros Socorros para Cães e Gatos”, há casos em que os veterinários prescrevem fenilpropanolamina para aumentar a força do esfíncter na uretra e ajudar no controle urinário. Medicação à parte, pais e mães devem ficar muito atentos para os cuidados com a higiene. Cachorros idosos, em geral, perdem bastante flexibilidade e apresentam dificuldade para se afastar dos “acidentes”, o que pode causar assaduras em torno da vulva, no pênis e nos flancos. A melhor forma de prevenir é manter o animal limpo, sempre higienizando a região com um pano úmido. Em caso de assadura, após limpar a região, você também pode usar uma pomada à base de óxido de zinco, para aliviar a inflamação.

As fraldas caninas descartáveis, em estágio mais avançado da doença, são uma ótima opção. Dei uma pesquisada nos sites da Cobasi e da Pet Center Marginal, e os preços dos pacotes variam de R$ 6 a R$ 39, dependendo do tamanho e do número de unidades da embalagem

Banho, como e com que frequência

Toddy, DJ e Theo naquele momento gostoso #sqn
Toddy, DJ e Theo naquele momento gostoso #sqn

Na verdade, para os cachorros tomar banho é totalmente desnecessário. Salvo algumas raças que adoram água, como os golden retrievers, a maioria prefere lidar com o “cão chupando manga” do que com água e sabão.

Mas, brincadeiras à parte, os banhos são necessários sim. Só precisamos tomar cuidado com o exagero. Banhos semanais são uma verdadeira agressão porque o sabão retira a cobertura natural da pele, não dando tempo para o organismo se reequilibrar. E, pasmem, o excesso de banhos causa até mau cheiro, explica o livro “Cão de Família”. Então, a recomendação é que os banhos sejam, no mínimo, quinzenais ou até mais espaçados.

Bom, mas como fazer dessa hora tão desagradável um momento divertido? O segredo é associar com coisas muito legais. Se ele descobrir, por exemplo, que sempre ao entrar no box vai ganhar um petisco, um ossinho ou até um pedaço de frango, ele provavelmente passará a gostar mais da hora da água e sabão.

O mesmo vale para banhos em pet shops. Procure ir munido de guloseimas e acompanhe o banho do peludinho. Garanto, por experiência própria, esse momento vai se tornar muito mais agradável para ele. Aaah, mas Angélica, vou gastar um tempão no pet shop e ainda corro o risco de sair molhado. A vida é assim mesmo, você escolheu ter um cachorro e tem obrigação de tornar a vida dele o mais legal possível.

Banho em casa – Se você escolher dar banho em casa, será ainda mais proveitoso. Lavando seu peludinho, você vai acostumá-lo a manipulações e ainda pode descobrir se ele está com alguma doença de pele.

Para esse momento, você precisará de xampu específico para cachorros – eu tenho usado da marca Sanol -, esponja (se quiser), toalha, escova, algodão, secador de cabelos (se necessário) e petiscos. Não use xampus para humanos, nem sabão de coco, ambos possuem mais detergente do que a pele do seu cão pode suportar. Ah, se quiser, também pode aproveitar o momento para escovar os dentes (ensinei aqui). Mas só se ele já estiver acostumado, senão é um estresse a mais.

Então, vamos lá, num passo a passo rumo ao cheirinho gostoso:

1) Prepare o local, que em geral é o banheiro, levando todos os itens necessários. Parece bobagem, mas não é, na primeira vez que dei banho na DJ, esqueci o secador de cabelos. Resultado: a bichinha saiu molhada diretamente para a minha cama :-S.

2) Antes de colocá-lo debaixo d’água, faça uma boa escovação. Essa é a hora de retirar os pelos mortos e também de fazer uma boa inspeção na pele.

3) Logo depois, coloque chumaços de algodão nos ouvidos dele. Prefira os hidrófobos, que repelem a água. Se ele odiar ficar com algodões nos ouvidos não tem problema, só tome cuidado para não deixar entrar muita água. No final, você terá, de qualquer maneira, que secar o ouvido dele.

4) Agora é a hora temida, entrar no box. Eu já os chamo com um petisco na mão. Aliás, fiz um pequeno treino antes de começar a banhá-los em casa, que consistia apenas em chamá-los para dentro do box com um petisco na mão e fazer muita festa. Deu certo, viu.

5) Ligo o chuveirinho numa temperatura morna, sempre mais para fria do que quente e molho o corpo e as patas. Fecho o chuveiro e ensaboo essas áreas, não esquecendo da região genital. Eu não uso esponja, ensaboo com as mãos mesmo, mas você pode usar. Aqui, aproveito para dar mais um petisquinho, afinal a hora do banho é muito legal. E, em seguida, faço o enxágue dessa região.

6) Fecho o chuveiro novamente, e aí vem o momento mais tenso, lavar a cara, o peito e as orelhas. Eles simplesmente detestam, mas é necessário. Procuro evitar o máximo possível que caia sabão nos olhos para não irritá-los. E dá-lhe petisquinhos.

7) Acabou o banho. Ainda dentro do box, uso a toalha para retirar o excesso da água, tiro os algodões dos ouvidos e levo para a secagem. Se estiver sol e você tiver um quintal, pode deixá-lo secar naturalmente. Vai poupar essa parte chata da secagem com o secador, mas se não tiver, use o secador morno (nunca quente!) ou frio para secá-lo.

8) Para finalizar, use um chumaço de algodão e com seu próprio dedo seque os ouvidos. Eu, ainda, gosto de dar uma escovada final nos pelos. E, pronto, o cheirinho gostoso está de volta.

Só para descontrair, vejam essa seleção de vídeos de peludinhos que fogem como loucos do banho.

 

Queimou a patinha; saiba como agir

Temos de ter cuidado com essas patinhas gostosas
Temos de ter cuidado com essas patinhas gostosas

Na última semana, estamos com temperaturas mais amenas em São Paulo, mas tivemos um mês um janeiro histórico de calor. Claro que, usando apenas o bom senso, sabemos que não é recomendado passear com os peludinhos nas horas de temperatura mais alta ou quando o asfalto já está quente, porém acidentes ou avaliações erradas podem acontecer e, por consequência, queimaduras, especialmente nas patinhas.

Os cães raramente têm queimaduras sérias nessa região porque os coxins, aquelas almofadinhas pretas gostosinhas, são grossas e resistentes. Então, as queimaduras que tiram a camada superficial ou duas camadas da pele podem ser tratadas em casa. Mas, pelo amor de Deus, mais sério do que isso corra para o veterinário.

Bem, a primeira providência a ser tomada, ensina o livro “Primeiros Socorros para Cães e Gatos”, do Amy D. Shojay, é colocar imediatamente a pata do bichinho na água gelada. Ela deve ficar encharcada por, no mínimo, cinco minutos. Você pode fazer isso, por exemplo, colocando-o em uma assadeira com água gelada ou, se ele não ficar, encha uma toalhinha com gelo e segure sobre a pata durante o tempo necessário.

As queimaduras se infeccionam com muita facilidade, então, é importante que você lave a região com água e sabão. O melhor é que você use um sabonete antisséptico líquido, tipo Protex, e enxugue as patinhas com leves batidinhas.

O livro diz que usar uma pomada antibiótica à base de sulfadiazina de prata ou de neomicina funciona bem. Mas veta que os donos utilizem pomadas com hidrocortizona, que podem retardar muito a recuperação.

Veja como fazer um curativo na pata

Para proteger a queimadura, você terá que fazer um curativo usando uma meia de algodão limpa para proteger o machucado da sujeira e impedir seu cãozinho de lamber. Veja como o livro “Primeiros Socorros para Cães e Gatos” ensina:

Ilustração de como o curativo deve ser feito.
Ilustração de como o curativo deve ser feito.

 

1 – Ponha uma compressa limpa sobre a queimadura

2 – Com uma gaze em rolo dobrada no meio, estenda uma tira sobre a parte da frente do pé, descendo e dobrando sobre os dedos

3 – Enrole uma tira simples de gaze em torno da pata, começando nos dedos e subindo até cobrir a primeira tira da gaze

4 – O curativo precisa respirar, portanto, prenda apenas no alto com um pedaço de esparadrapo. Depois disso, coloque a meia de algodão limpa na pata e a prenda no alto com o esparadrapo. O envoltório deverá estar firme, mas não muito apertado. Se você conseguir enfiar um lápis entre a pata e o curativo sem grande esforço é porque está certo.

Vá acompanhando a evolução da cicatrização e troque o curativo duas vezes ao dia. Se ele não melhorar em dois dias, procure o veterinário.

 

Posso dar suco de frutas para o meu cachorro?

A resposta é depende. Você pode dar suco para o seu cachorro desde que seja em pouca quantidade e sem açúcar. Quem diz isso não sou eu, mas sim especialistas de fontes confiáveis sobre saúde animal.

Na verdade, esse post foi motivado pela pergunta do amigo e pai da Pandora, Glauco Araújo. Ele me perguntou se conhecia receitas de sucos que poderiam ser dados para os cães. Eu tinha uma leve impressão de que não era uma boa ideia, então, resolvi pesquisar sobre o assunto.

A Sylvia Angélico, do site Cachorro Verde, maior referência sobre alimentação natural para animais do país, mostra-se totalmente contra. Nesse post ela diz que “dar suco de frutas ao pet é má ideia. Suco de frutas em geral é rico em frutose (açúcar da fruta) e não tem fibras para conter sua absorção”. Já o site vetinfo.com se mostra um pouco menos radical. Diz um artigo sobre bebidas para cães que eles podem tomar suco de fruta em pequenas quantidades e que é melhor em vez de dar o suco, oferecer a fruta natural. Outro artigo do PawNation diz o mesmo que o VetInfo e acrescenta: dar suco de caixinha é vetado por conter muito açúcar e conservantes.

O que posso oferecer além de água?

Vejam as respostas dos especialistas.

cocoÁgua de coco – Sim! Pode ser oferecida regularmente, desde que não substitua a água natural. A bebida, além de hidratar, tem vitaminas e minerais que fazem bem à saúde dos cães. A Sylvia Angélico só alerta para que os pais não exagerem. Como a água de coco é muito gostosa, os peludinhos podem desaprender a tomar a água natural e isso não é nem um pouco recomendável.

gatoradeGatorade – Não! Qualquer bebida com suplementos vitamínicos e minerais para seres humanos pode ser prejudicial para os cães. Eles toleram apenas quantidades específicas de vitaminas e minerais, que a ração e água já contêm. O Gatorade também possui elevada porcentagem de açúcar, que pode ser prejudicial para cães diabéticos, além de corantes artificiais e aditivos que prejudicam o trato urinário e outros sistemas.

leite_vale_1Leite – Não! Os cães não devem beber leite ou qualquer bebida láctea porque tendem a ter problemas com intolerância à lactose.

 

 

chaChá – Não! O problema do chá é que, em geral, ele contém cafeína. Para vocês terem uma ideia, se um cachorro beber cinco xícaras de chá já existe risco de morte. Lá nos EUA existe uma linha de chás especialmente feita para cães, mas no Brasil não conheço nenhum. Se achar, conto para vocês.

caldvaleCaldo de galinha – Sim! Se seu peludinho não estiver tomando água por algum motivo, você pode oferecer caldo de galinha para ajudar na hidratação. Só um alerta, é melhor que você prepare o caldo, os produtos que encontramos nos supermercados têm muito sódio e podem desequilibrar a dieta do cachorro.

suco_valeSucos – Depende, como já disse lá em cima. Em geral, os cachorros toleram bem qualquer tipo de fruta, mas duas são proibidas: uva e carambola. Ambas podem causar insuficiência renal.

 

 

 E dois alertas:

piscinavaleÁgua de piscina – Não deixe seu cachorro beber água de piscinas tratadas com cloro. Esse produto químico é perigoso e, em grande quantidade, pode intoxicá-lo.

 

vasoÁgua do vaso sanitário – Não. Por mais que seu vaso sanitário seja limpo, há proliferação de bactérias nele. Além disso, os produtos usados na limpeza são muito perigosos. Então, deixe sempre a tampa fechada.

Conjuntivite canina, uma doença em que fiquei especialista

dj_2A minha única menina, a DJ, sofre de um mal crônico: conjuntivite. Por conta de um machucado causado por um atropelamento, ela ficou com esse órgão prejudicado. Perdeu a proteção natural, não produz lágrima suficiente e com o tempo seco fica mais suscetível a ter a doença. Diariamente, eu hidrato os olhos dela com soro fisiológico e lágrima artificial, mas, em certas épocas do ano, não tem jeito, ela pega conjuntivite. Aí, tem de ser tratada com colírios antibióticos.

A conjuntivite, explica o site petMD**, é uma inflamação das conjuntivas, o tecido úmido que cobre a parte da frente do globo ocular e linhas das pálpebras. Os sintomas da doença são parecidos com o dos humanos: olhos vermelhos, lacrimejantes e com secreção amarelo-esverdeada, além de pálpebras superiores inchadas.

Poluição, irritação por presença de corpos estranhos (objetos, poeira) ou traumas podem causar a conjuntivite. Por esses motivos, os veterinários alertam para que os peludos não andem com a cabeça para fora da janela do carro, pois o vento intenso nos olhos pode levar à conjuntivite.

Kit de medicamentos que uso para combater a conjuntivite na DJ
Kit de medicamentos que uso para combater a conjuntivite na DJ

É importante que, ao perceber os primeiros sintomas, você leve o fofo rapidamente ao veterinário. Ocorre que alguns dos sintomas, como a secreção, também pode ser indício de cinomose, uma doença muito grave. Além disso, é bem provável que por causa da conjuntivite ele comece a coçar os olhos. E, nesse processo, ele pode machucar as pálpebras ou até provocar uma úlcera na córnea.

Ah, e é legal saber que a conjuntivite canina, ao contrário da humana, não é contagiosa. Então, não há perigo de você se contaminar com a doença do seu filho cão.

 ** O site petMD é um dos maiores sobre doenças animais. Feito por veterinários, é uma ótima referência. O único problema é que é em inglês :-S.