Incontinência urinária em cães idosos

O nosso velhinho querido
O nosso velhinho querido

Dias desses, minha mãe me contou que nosso “véiocão”, o Ozzy, às vezes, não tem conseguido chegar ao jornal para fazer xixi. Ela conversou com o veterinário, o excelente Dr. Paulo Sérgio Salzo, da Universidade Metodista de Säo Paulo, que disse que é um problema que teremos de conviver daqui por diante. São três os fatores que influenciam diretamente para o Ozzy apresentar incontinência: idade avançada, ele vai completar 13 anos; obesidade, são 22 kg e as características da raça, cockers são propensos a ter esse tipo de doença.

Por enquanto, o Ozzy ainda não precisa de medicamentos, ainda bem porque já toma vários, apenas uma limpeza mais cuidadosa quando o xixi escapa, mas pode ser que o problema se agrave. Ocorre que com o envelhecimento, explica o site WebMD, a produção dos hormônios testosterona em cães machos e estrogênio em fêmeas diminui. Essas substâncias são importantes no controle do tecido muscular da bexiga, que atua como válvula no controle da urina.

O tratamento varia, mas segundo o livro “Primeiros Socorros para Cães e Gatos”, há casos em que os veterinários prescrevem fenilpropanolamina para aumentar a força do esfíncter na uretra e ajudar no controle urinário. Medicação à parte, pais e mães devem ficar muito atentos para os cuidados com a higiene. Cachorros idosos, em geral, perdem bastante flexibilidade e apresentam dificuldade para se afastar dos “acidentes”, o que pode causar assaduras em torno da vulva, no pênis e nos flancos. A melhor forma de prevenir é manter o animal limpo, sempre higienizando a região com um pano úmido. Em caso de assadura, após limpar a região, você também pode usar uma pomada à base de óxido de zinco, para aliviar a inflamação.

As fraldas caninas descartáveis, em estágio mais avançado da doença, são uma ótima opção. Dei uma pesquisada nos sites da Cobasi e da Pet Center Marginal, e os preços dos pacotes variam de R$ 6 a R$ 39, dependendo do tamanho e do número de unidades da embalagem

Banho, como e com que frequência

Toddy, DJ e Theo naquele momento gostoso #sqn
Toddy, DJ e Theo naquele momento gostoso #sqn

Na verdade, para os cachorros tomar banho é totalmente desnecessário. Salvo algumas raças que adoram água, como os golden retrievers, a maioria prefere lidar com o “cão chupando manga” do que com água e sabão.

Mas, brincadeiras à parte, os banhos são necessários sim. Só precisamos tomar cuidado com o exagero. Banhos semanais são uma verdadeira agressão porque o sabão retira a cobertura natural da pele, não dando tempo para o organismo se reequilibrar. E, pasmem, o excesso de banhos causa até mau cheiro, explica o livro “Cão de Família”. Então, a recomendação é que os banhos sejam, no mínimo, quinzenais ou até mais espaçados.

Bom, mas como fazer dessa hora tão desagradável um momento divertido? O segredo é associar com coisas muito legais. Se ele descobrir, por exemplo, que sempre ao entrar no box vai ganhar um petisco, um ossinho ou até um pedaço de frango, ele provavelmente passará a gostar mais da hora da água e sabão.

O mesmo vale para banhos em pet shops. Procure ir munido de guloseimas e acompanhe o banho do peludinho. Garanto, por experiência própria, esse momento vai se tornar muito mais agradável para ele. Aaah, mas Angélica, vou gastar um tempão no pet shop e ainda corro o risco de sair molhado. A vida é assim mesmo, você escolheu ter um cachorro e tem obrigação de tornar a vida dele o mais legal possível.

Banho em casa – Se você escolher dar banho em casa, será ainda mais proveitoso. Lavando seu peludinho, você vai acostumá-lo a manipulações e ainda pode descobrir se ele está com alguma doença de pele.

Para esse momento, você precisará de xampu específico para cachorros – eu tenho usado da marca Sanol -, esponja (se quiser), toalha, escova, algodão, secador de cabelos (se necessário) e petiscos. Não use xampus para humanos, nem sabão de coco, ambos possuem mais detergente do que a pele do seu cão pode suportar. Ah, se quiser, também pode aproveitar o momento para escovar os dentes (ensinei aqui). Mas só se ele já estiver acostumado, senão é um estresse a mais.

Então, vamos lá, num passo a passo rumo ao cheirinho gostoso:

1) Prepare o local, que em geral é o banheiro, levando todos os itens necessários. Parece bobagem, mas não é, na primeira vez que dei banho na DJ, esqueci o secador de cabelos. Resultado: a bichinha saiu molhada diretamente para a minha cama :-S.

2) Antes de colocá-lo debaixo d’água, faça uma boa escovação. Essa é a hora de retirar os pelos mortos e também de fazer uma boa inspeção na pele.

3) Logo depois, coloque chumaços de algodão nos ouvidos dele. Prefira os hidrófobos, que repelem a água. Se ele odiar ficar com algodões nos ouvidos não tem problema, só tome cuidado para não deixar entrar muita água. No final, você terá, de qualquer maneira, que secar o ouvido dele.

4) Agora é a hora temida, entrar no box. Eu já os chamo com um petisco na mão. Aliás, fiz um pequeno treino antes de começar a banhá-los em casa, que consistia apenas em chamá-los para dentro do box com um petisco na mão e fazer muita festa. Deu certo, viu.

5) Ligo o chuveirinho numa temperatura morna, sempre mais para fria do que quente e molho o corpo e as patas. Fecho o chuveiro e ensaboo essas áreas, não esquecendo da região genital. Eu não uso esponja, ensaboo com as mãos mesmo, mas você pode usar. Aqui, aproveito para dar mais um petisquinho, afinal a hora do banho é muito legal. E, em seguida, faço o enxágue dessa região.

6) Fecho o chuveiro novamente, e aí vem o momento mais tenso, lavar a cara, o peito e as orelhas. Eles simplesmente detestam, mas é necessário. Procuro evitar o máximo possível que caia sabão nos olhos para não irritá-los. E dá-lhe petisquinhos.

7) Acabou o banho. Ainda dentro do box, uso a toalha para retirar o excesso da água, tiro os algodões dos ouvidos e levo para a secagem. Se estiver sol e você tiver um quintal, pode deixá-lo secar naturalmente. Vai poupar essa parte chata da secagem com o secador, mas se não tiver, use o secador morno (nunca quente!) ou frio para secá-lo.

8) Para finalizar, use um chumaço de algodão e com seu próprio dedo seque os ouvidos. Eu, ainda, gosto de dar uma escovada final nos pelos. E, pronto, o cheirinho gostoso está de volta.

Só para descontrair, vejam essa seleção de vídeos de peludinhos que fogem como loucos do banho.

 

Hora de escovar os dentes

creme_dedeiraSe tem um hábito importante que os donos (eu me incluo) negligenciam é o de escovar os dentes dos peludinhos. Acreditem, cuidar da boca deles é tão importante quanto cuidar da nossa. Para vocês terem uma ideia, segundo a Associação Americana de Odontologia Veterinária, a maioria dos cachorros já apresenta doença periodontal a partir dos três anos. É um dado importante porque essa doença pode, em seu estágio mais avançado, levar até à perda dos dentes.

Mas acostumar os nossos filhos cães a uma escovação regular não é das tarefas mais simples, especialmente, se ele não for habituado a manipulações. Como falei lá no início, estou tentando escovar os dentes dos meus fofuchos com mais regularidade. Já li artigos defendendo uma escovação diária, mas, vamos combinar, com a correria do dia a dia, e outros afazeres em relação a eles fica difícil. Então, tenho escovado os dentinhos de cada um, pelo menos, uma vez por semana.

Na verdade, para mim, não foi tão difícil acostumá-los à escovação, pois eles já estão habituados com apertos e inspeções *rs*. Inicialmente, só oferecia o creme dental canino para eles lamberem. Depois, com meu próprio dedo comecei a espalhar o creme pela boca deles. Algumas sessões depois, com uma dedeira, iniciei a escovação somente da parte da frente e, por último, passei para as laterais. Agora, meu desafio será escovar a parte interna.

Aqui um ponto importante, não podemos escovar os dentinhos dos cães com creme dental humano, o flúor faz mal se for engolido. E também não é recomendado usar qualquer escova, pois a gengiva deles é muito sensível. Eu tentei usar uma escova de dente para cães, mas não tive sucesso. Eles mordiam o cabo e não me deixavam fazer os movimentos circulares. A dedeira é de borracha bem molinha, e eles aceitaram bem.

Nesse processo de acostumá-los à escovação é primordial para o sucesso que você tenha paciência. Se o peludinho, por exemplo, ficar irritado com a primeira escovação com a dedeira ou a escova regrida e volte a usar apenas o creme dental e seu dedo.

theo_escovaçao
A foto não ficou lá essas coisas porque é duro escovar e fotografar ao mesmo tempo *rs*

Você pode, e até deve, oferecer petiscos durante a escovação como recompensa. Aprendi no livro “Cão de Família” (já falei dele nesse post) que o objetivo da escovação dos dentes dos cães é diferente da nossa. Os humanos fazem a higiene dental para remover o excesso de alimentos que levam à formação da placa bacteriana. Ela gera um produto ácido que provoca a cárie. Nos cachorros, a placa bacteriana não causa cárie. Seu acúmulo, no entanto, forma tártaro, que leva à doença periodontal. Por isso, explica o livro, não há urgência de retirar o alimento, e sim de remover a placa bacteriana excessiva.

E, por fim, quero só ressaltar que manter essa rotina de escovação vai retardar a necessidade de um tratamento dentário mais complexo, que sempre é feito com anestesia geral.

 

Comparação de tapetes higiênicos

Eu como uma feliz mãe de três filhos machos, tornei-me uma especialista no assunto xixi. Na minha casa, dois produtos não podem faltar: jornal e tapetes higiênicos. É que como moro em apartamento, tenho de usar os dois para manter a higiene da casa.

Bem, por conta dessa necessidade, já testei boa parte das marcas de tapetes higiênicos e vou compartilhar com vocês a minha opinião.

A lista vai do que eu considero o melhor para o que eu considero o pior *. Sempre uso os maiores tamanhos, então, foram esses os avaliados**.

Veja a avaliação dos tapetes higiênicos

Tapete-Higienico-Mega-Cao-ArrayanesTapet Mega Cão – É o meu preferido. O maior tamanho que eles possuem 80 cm x 62 cm atende super bem as necessidades dos meus filhos, que são dos tamanhos médio e grande. A fixação das fitas é excelente. Aliás, essa é minha maior necessidade porque como moro numa casa pequena não tem como usar um produto que fica “dançando” no chão. A absorvição é ok, não é a melhor do mercado, mas o xixi não vaza. Consigo usar até por dois dias sem trocar. Recomendo.
Preços (30 unidades):
Cobasi: R$ 49,80
Pet Center Marginal: não tem
Petlove: não tem

Tapete-Higienico-Petlimp-8un-62-x-80-cmPetlimp – O tamanho é bom, 80 cm x 62 cm, o mesmo do Mega Cão. A fita fixa super bem, mas o produto peca na absorvição. Houve dias que tive de trocar o tapete mais de uma vez. Ou seja, se você não tem tempo, como eu, de ficar trocando o tapete não vale a pena. Além disso, quanto mais trocas, mais despesa, né?
Preços (30 unidades):
Cobasi: R$ 48,30
Pet Center Marginal: não tem
Petlove: não tem

Tapete-Higienico-uso-diario-Dogs-Care-7unidsDog’s Care – A absorvição do tapete Dog’s Care é excelente, fiquei impressionada. O maior tamanho não é lá tão bom 70 cm x 55 cm, porém o produto falha mesmo é na fixação das fitas. Gente, não gruda no meu piso de porcelanato. Uma pena.
Preços (30 unidades):
Cobasi: R$ 49,99
Pet Center Marginal: não tem
Petlove: não tem

Super-Secao-7-UnidadesSuper Secão – O pior, na minha opinião. Ele tem dois problemas graves, um é na absorvição, que considero bem ruim, e outro nas fitas, que não grudam. A única característica boa é o tamanho 80 cm x 60 cm. Não recomendo.
Preços (30 unidades)
Cobasi: não tem
Pet Center Marginal: R$ 44,90
Petlove: R$ 44,90

 

* Dei link para os sites da Cobasi e Petlove porque não achei alguns produtos nos sites das empresas fabricantes.

** Os preços são apenas dos tamanhos que eu uso e foram pesquisados no dia 11 de janeiro de 2014.

Selo classifica as melhores pousadas para levar o pet

O cachorro se hospeda no quarto com os pais, opção de espaço para refeições junto com os pets, equipe de atendimento com conhecimento básico sobre raças e portes são alguns dos requisitos para uma pousada “amiga dos animais” ser classificada como super premium, de acordo com o ranking da empresa Turismo 4 Patas.

O que basicamente achei legal na classificação é que para obter o selo, mesmo em categorias inferiores, é obrigatório que o pet se hospede com o dono. Gente, é o básico, né? Quando nesse ano fui em busca de uma pousada para me hospedar com os meus filhos, achei algumas em que o peludo tem de ficar em um canil. Um local desses, na minha opinião, não é “amigo dos animais” nem aqui, nem na China.

A pousada Ronco do Bugio, classificada como super premium
A pousada Ronco do Bugio, classificada como super premium

 

Bem, segundo o ranking, há apenas uma hospedagem pet friendly super premium no Brasil, a Ronco do Bugio, em Piedade, São Paulo. De acordo com informações do site da Turismo 4 Patas, a pousada oferece kit “Dog Hospedagem” com toalha, mantinha e porta-ração (para serem usados durante a estadia e devolvidos no final), saquinhos para dejetos e biscoitos. Lá, podem circular livremente pelos espaços gramados e entre as árvores. Só não é permitida a entrada no salão interno do restaurante e na área da piscina. Mas há um espaço com mesas externas onde os pets podem ficar ao lado do do dono durante as refeições. O local cobra uma taxa de R$ 40 por animal e aceita cães de portes mini a grande, exceto as raças mastim, fila, pitbull, dog alemão e rotweiller.

Classificada como “premium” está a pousada Encanto da Bocaina, localizada em São José do Barreiro, também em São Paulo. Segundo os critérios obrigatórios de classificação, a pousada só não oferece um kit de boas vindas – com petiscos, tapetes higiênicos, comedouro bebedouro – de resto tem todos os itens da hospedagem super premium. Segundo informações da Turismo 4 Patas, na Encanto da Bocaina o peludo pode acompanhar os pais no café da manhã e outras refeições feitas ao ar livre. No local, a família tem como opção de passeio cachoeiras e trilhas. A taxa por animal é de R$ 15 por cada pet por diária. A pousada não recebe cães das raças pastor alemão, pitbull, american staffordshire terrier, rottweiller, bul terrier, mastim napolitano e fila e suas variações.

A pousada Bicho Preguiça, em Peruíbe
A pousada Bicho Preguiça, em Peruíbe

Já na classificação “standard” há duas opções: a Fazenda Hotel Santa Rita, em Natividade da Serra, São Paulo, e pousada Bicho Preguiça, em Peruíbe, no litoral paulista. Nesse nível, a hospedagem deve, ao menos, oferecer hospedagem junto com o dono, lixeiras exclusivas para fezes animais, indicação de veterinário, equipe com conhecimento básico sobre raças e portes, kit de primeiros socorros e bebedouros em locais estratégicos. A primeira cobra uma taxa de R$ 35 por cão e a segunda não informa o valor/

No site da Turismo 4 Patas você ainda pode fazer uma busca por outras pousadas que não obtiveram o selo, mas que recebem animais. A pousada que fiquei em agosto com os meus filhos cães, a Pura Vida, em Maresias, está listada lá. Aqui você pode ler meu relato.

Para conseguir o selo, a hospedagem tem de passar por uma avaliação técnica em que são avaliados os itens obrigatórios que a hospedagem deve oferecer, entre outras etapas de análise. A ideia da Turismo 4 Patas é excelente e fica aqui a torcida para que mais pousadas se interessem em obter o selo.